A Prefeitura do Rio apresentou na manhã desta quinta-feira, no Centro de Operações, na Cidade Nova, o planejamento operacional do Carnaval de Rua deste ano, que envolve vários órgãos municipais, como CET-Rio, Comlurb, Guarda Municipal, Controle Urbano, Riotur e também as concessionárias VLT Carioca e Metrô Rio.

No início da apresentação, o presidente da Riotur, Marcelo Alves, mostrou o esquema montado para os desfiles dos grandes blocos na Rua Primeiro de Março, no Centro do Rio. Segundo Marcelo, serão disponibilizados 200 banheiros químicos, 177 contêineres de lixo e dois postos médicos. A novidade deste ano será a implantação de seis torres de segurança durante todo o trajeto fixo dos blocos.


O Centro de Operações vai auxiliar a CET-Rio e a Guarda Municipal no monitoramento da passagem dos blocos, em vários pontos da cidade. Segundo o diretor de operações da CET-Rio, Joaquim Diniz, somente no sábado de Carnaval, serão mais de 50 desfilando.
“Vamos monitorar todos os desfiles, e principalmente, os que carregam multidões. Serão 900 agentes por dia, com apoio de 60 viaturas e 50 motocicletas, para liberar as vias com rapidez e dar fluidez ao trânsito. Nosso esquema também utilizará 26 painés de mensagens variáveis e 30 reboques da Secretaria de Ordem Pública, para reprimir o estacionamento irregular”, revelou Diniz.


Ele também lembrou que é importante que a população dê prioridade ao transporte público, principalmente, Metrô, Trens, Barcas, BRT e VLT, para chegar aos locais. Já a Guarda Municipal vai atuar com 5.493 guardas no ordenamento e patrulhamento dos blocos oficiais. Um grupo estará dando apoio a CET-Rio nos pontos de bloqueio e principais cruzamentos de cada região. O diretor de Operações da Guarda Municipal, inspetor-regional, José Ricardo Soares da Silva, destacou o reforço empregado durante os dias de folia.


“Vamos utilizar 407 viaturas e faremos ações conjuntas com a CET-Rio, a Coordenadoria de Controle Urbano, e a Comlurb, através do Programa Lixo Zero. Quem for pego fazendo xixi na rua, será multado. Pedimos também que os foliões evitem levar bebida em garrafas de vidro para as áreas onde os blocos estarão concentrados”.


Em relação a bebidas, a Riotur lembrou que 4.500 ambulantes foram cadastrados para trabalhar ao longo dos desfiles dos blocos na cidade. Para combater o comércio irregular, a coordenação de Controle Urbano, vai utilizar 63 fiscais, divididos em seis equipes. O ambulante que for flagrado vendendo sem autorização, terá o material apreendido e levado para o depósito da Coordenadoria, em Bonsucesso, ou em um posto avançado próximo ao Sambódromo.


A Comlurb montou uma megaestrutura para acompanhar os desfiles e deixar cada canto da cidade, limpo após a passagem de cada bloco. A Limpeza modo arrastão – concentração de garis no final de cada desfile –será o método mais utilizado neste Carnaval. Segundo o diretor de Serviços Especiais e Ambientais da companhia, Renato Rodrigues, o maior desafio deste ano será o desfile do Cordão do Bola Preta, que deve carregar mais de Um Milhão e meio de pessoas para a Rua Primeiro de Março.


“Trabalharemos em três turnos. Devemos utilizar 260 garis, 600 contêineres e 17 veículos e equipamentos”, frisou Renato, que também é o responsável pela operação Carnaval.


A Comlurb vai utilizar 1.100 garis por dia, 50 veículos, 90 sopradores, 20 vaporizadores e 235 agentes do programa Lixo Zero.


Já a concessionária Metrô Rio vai manter o mesmo esquema dos últimos anos. O serviço nas Linhas 1, 2 e 4, vai funcionar ininterruptamente de cinco da manhã de sexta-feira, 24/02, até às três da manhã do dia 01/03, para atender o desfile das escolas de sambas mirins. No fim de semana seguinte, desfile das campeãs, o funcionamento será de 06h da manhã de sábado, 04/03, até 11 da noite de domingo, 05/03.


Para atender ao grande público, a concessionária vai disponibilizar três guichês externos nas estações General Osório (Ipanema), Carioca (Centro) e Glória.
E a Secretaria Municipal de Saúde vai montar quatro postos de atendimento médico nas áreas de maior concentração de blocos do Rio. Serão dois no Centro da cidade, um em Copacabana e um entre Ipanema e Leblon. Ao todo 210 profissionais de saúde estarão atuando, entre eles, 70 médicos, além de 76 ambulâncias com um médico e um enfermeiro em cada uma. As estruturas dos postos contará com 16 leitos, quatro com suporte avançado e 1o poltronas de hidratação. A Secretaria também vai contar com o apoio do Corpo de Bombeiros.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS